Jacaré mata Sofia em capítulo de "Totalmente demais" - Novelando
  • Jacaré mata Sofia em capítulo de “Totalmente demais”



    Sofia (Priscila Steinman) vai ser desmascarada em “Totalmente demais” e acaba assassinada por Jacaré (Sergio Malheiros). A garota tenta matar Eliza (Marina Ruy Barbosa) pela terceira vez, mas seu plano dá errado e ela acaba traindo o amante, que atira nela com raiva. Sofia tenta matar Eliza num restaurante. A bandida tenta colocar um produto tóxico na bebida de Eliza, mas como ela não quer mais beber vinho, Sofia decide levar a irmã para o banheiro para Jacaré matá-la.

    + Arthur detona Eliza: “Você me destruiu”, em “Totalmente Demais” (4/9)

    Ferdinand assombra Tereza Cristina mesmo depois de morto em “Fina Estampa”

    Só que enquanto elas estão juntas, Germano (Humberto Martins) e Lili (Vivianne Pasmanter) descobrem que o cofre deles foi roubado e que Sofia colocou sonífero na comida deles para cometer o crime. Preocupados com Eliza e com Sofia, os dois acionam a polícia, que cerca o banheiro do restaurante onde Jacaré e a amante estão tentando matar a ruiva. Eliza morde a mão de Jacaré e grita dizendo que Sofia e o bandido estão juntos no plano.

    Sofia, então, começa a gritar por socorro, dizendo que Jacaré a obrigou a fazer tudo aquilo. Em slow motion, Jacaré, sem soltar Eliza, atira em Sofia, que é atingida na altura do peito. Jacaré vai saindo dali puxando Eliza e mantém a ruiva como refém. Germano e Lili chegam em Sofia. Lili chora, com a cabeça da filha em seu colo e pergunta porque ela fez isso tudo.

    “No início, eu só queria ser livre. Me afastar daquela vida burguesa medíocre. Mas depois, fui gostando do perigo, me viciando naquilo e quando me dei conta, tinha virado outra pessoa. A Nina podia fazer qualquer coisa, a Nina era livre. E isso me deixava numa felicidade louca, como uma droga”, diz ela.

    Lili pergunta onde ela errou. “Você não errou. Eu fiz porque quis. Porque era bom. Nada me satisfazia”, responde. Sofia pergunta se a mãe ainda a ama e Lili fala que daria a vida por ela. “Eu sou sua mãe. Eu te amo, sempre, não importa o que você tenha se tornado”, completa Lili. “Eu não sei o que é amar. Eu nunca te amei, mãe. Nem meu pai, nem você, Fabinho… Muito menos o Rafael ou o Jota… Eu nunca amei ninguém. Acho que nem eu mesma”, fala ela, que morre. Lili grita de dor.

    arrow