Filme de Xuxa vetado nos anos 80 volta a ser exibido na TV esta semana. Foto: Divulgação

No início dos anos 1980, Xuxa era uma jovem modelo em ascensão e foi convencida a participar do filme por Pelé, seu namorado na época . “Apesar de ter Tarcísio Meira e Vera Fischer, odiei fazer. Foi uma experiência péssima”, conta ela em seu livro Memórias (Globo). “Tem gente que, quando quer me atacar, fala desse longa como sendo um filme pornô. Nada a ver!”

+ ‘Velozes e Furiosos 9’ ganha novo teaser cheio de ação; Assista!
+ Procura por “relacionamento sugar” na internet cresce mais de 80% em 2020
+ Você usa celular deitado na cama? Cuidado com a cegueira temporária
+ Musa do golfe, Paige Spiranac oferece a três fãs a chance de jogar uma partida com ela

Quando Xuxa começou a comandar programas para crianças (estreou o Clube da Criança, na extinta TV Manchete, em 1983, indo para a Globo em 1986, onde iniciou o Xou da Xuxa), ela percebeu que sua nova imagem não combinava com a mostrada no filme. Assim, logo que Amor Estranho Amor começou a ser distribuído em fitas videocassete, a apresentadora iniciou uma disputa legal com os produtores para impedir que o filme também voltasse aos cinemas.

Em uma entrevista ao Estadão em 2009, Xuxa negou agir estar agindo como uma censora. “Não quero proibir Amor, Estranho Amor nem banir o filme da minha carreira”, disse ela. “Também não renego que posei para a Playboy. O que há é que o filme de Khouri foi feito antes que eu começasse a trabalhar com crianças. Era um papel minúsculo, que os produtores, astutamente resolveram explorar de forma que considero inadequada. Fizeram aquele cartaz e criaram slogan ‘Veja o que Xuxa faz com seu baixinho’. Sou contra exploração grosseira. Quer transformar numa safadeza, quer mostrar? Vai ter de pagar. Não dou mole. Ponho advogado em cima.”

A disputa judicial se arrastou por diversos anos e tribunais até que os advogados de Xuxa recorreram ao Supremo, em 2017, quando o ministro Celso de Mello negou seguimento do recurso. Segundo ele não foi verificada, na decisão do Superior Tribunal de Justiça, “a existência de qualquer juízo, ostensivo ou disfarçado, de inconstitucionalidade das normas legais”. Ele considerou a reclamação de Xuxa “inacolhível”.

Durante esse período de batalhas, o filme ganhou notoriedade e foi lançado no mercado externo, desde os Estados Unidos e a então União Soviética, até Grécia e Japão, onde recebeu o título de The Experience. Em 2018 que Xuxa desistiu do bloqueio e o filme foi então liberado.

O Canal Brasil comprou os direitos de exibição no final do ano passado,
e agora, será exibido pelo Canal Brasil na madrugada de quinta, 12, para sexta-feira, à 0h30.

Amor Estranho Amor

Amor Estranho Amor acompanha a trajetória de Hugo, homem que, na meia-idade, se lembra quando era garoto, em 1937, e foi deixado diante de um bordel de luxo, onde a mãe trabalhava e era amante de um influente político paulista. Lá, ele convive com garotas de programa como a jovem Tamara, que teve sua falsa virgindade leiloada entre os frequentadores e que inicia Hugo nos prazeres do sexo.

Estrelado por um elenco respeitável (Tarcísio Meira, Vera Fischer, Otávio Augusto, Mauro Mendonça, Walter Foster), o filme tem, como pano de fundo, o momento político do País às vésperas do golpe que instituiu o Estado Novo. O trabalho conquistou elogios até no exterior.